Arquivos
 04/11/2007 a 10/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 18/02/2007 a 24/02/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 05/11/2006 a 11/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 06/08/2006 a 12/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Bortolotto
 Márcio Américo
 Célia Mussili
 Gibizada
 Márcia
 Lielson
 Blues Masters
 Selton
 Pedrão
 Pedrita
 Caraminholas
 Ana Paula
 Wolf Attack
 Benett
 Leo Lama
 Zéu Britto
 R. L Burnside's
 Maga
  Revista Lasanha
 Revista Blues e Jazz
 Blues4Fun




Blues Writer
 


O Novo Velho

A reação das pessoas ao novo, a novidade  ao fresco é realmente impressionante.

Ontem num papo rápido com amigos regado a boa e velha cerveja de liquidação um deles falava sobre o novo disco do Caetano Veloso, outro sobre o novo filme do Cacá Diegues e eu pensava a quanto tempo estou pra ler um antigo livro no Elmore Leonard " Mr Paradise ", e não o encontro.

A vida tem dessas coisas. . .



Escrito por fernandobluesborghi às 16h17
[] [envie esta mensagem
]





Gosto Muito do Fernando

Até uns dez, quinze anos atrás, qual era a trajetória de publicação de uma tira? Ela saía primeiro nos cadernos de cultura dos jornais e, depois de um tempo, o material era compilado numa revista ou álbum. Hoje, é fato, a internet mudou parte dessa relação. Mesmo assim, alguns autores não deixam de lado o esquema tradicional. Um deles é Fernando Gonsales, que lança mais uma coletânea de tiras.

 

"Níquel Náusea - Tédio no Chiqueiro" (Devir, R$ 26) começa a ser vendido hoje. O álbum reúne 225 tiras, que saíram há sete anos no jornal "Folha de S.Paulo". O desenhista conta que a publicação segue uma ordem cronológica. Começa onde terminou o álbum anterior. Só elimina as que "não funcionam mais". "As que eu não gosto eu tiro", diz. Em alguns casos, teve de fazer sutis adaptações para atualizar informações do texto.

 

Gonsales vê diferença na leitura das tiras nos jornais e nas compilações. Nestas, o leitor acompanha tudo de uma só vez, o que pode chamar a atenção para estratégias repetidas para provocar o humor (algo que passaria despercebido na leitura diária). "No álbum, as fórmulas ficam mais evidentes. A sensação é de repetição. Às vezes, tem de dar uma editada [para afastar um tira da outra]".

 

Gonsales mantém uma página virtual com histórias de Níquel Náusea e companhia. Não é um autor avesso a novidades. Mas seu humor é daqueles tradicionais, bem aos moldes das tiras norte-americanas mais clássicas. "As tiras nacionais caminham para uma coisa mais introspectiva, mais pessoal. Acho que o legal é a diversidade. As tiras americanas têm uma maneira rígida de ser. É mais ou menos o que eu sigo", diz.

 

A tira cômica possui uma estratégia própria para provocar o humor. A exemplo de uma piada, tem de criar um desfecho inesperado. A surpresa provoca o riso. Gonsales diz que não se espelha numa piada para criar a dose diária de Níquel Náusea. "Às vezes nem é uma piada. Mas é uma situação minimamente engraçada".

 

Gonsales sabe o que cria. Talvez seja o desenhista brasileiro que mais domina o chamado "mundo animal", tema da maioria das tiras que cria. É veterinário formado pela Universidade de São Paulo. Foi nas aulas da USP que ensaiou os primeiros desenhos. Chegou a trabalhar na área. Um ano. Largou por causa das ilustrações. A primeira tira de Níquel Náusea saiu na Folha de S.Paulo em 1985, quando Gonsales venceu um concurso de novos talentos promovido pelo jornal paulista. Está lá desde então.

 

Este "Tédio no Chiqueiro" é o sexto álbum de Níquel Náusea lançado pela editora Devir. O primeiro foi "Com Mil Demônios!". Depois, vieram "Botando os Bofes de Fora", "Nem Tudo Que Balança Cai", "Vá Pentear Macacos" e "A Perereca da Vizinha".

 

Para encerrar: a tira abaixo e também as tiras abaixo fazem parte do álbum .

 



Escrito por fernandobluesborghi às 19h57
[] [envie esta mensagem
]





Célia o blog e o livro

A jornalista Célia Musilli lança na sexta-feira 'Sensível Desafio',

primeiro livro de poesia em que aborda feminilidade e a sedução em delicadas palavras

 

Todo o dia, ela pinta e borda sua poética puxando o fio da memória afetiva. Sensibilidade alinhavada. Às vezes, as asperezas do cotidiano a tiram um pouco fora do esquadro. Mas ela insiste. Deita os olhos num ponto qualquer e vasculha reminiscências - viagem quieta para dentro de si mesma. Há muitas mulheres dentro dessa jovem senhora de 49 anos que agora, madura em firmezas e sedimentada em palavras confiáveis, está colocando à disposição dos interessados seus códigos pessoais em forma de poesia. Deu-lhe o nome de ''Sensível Desafio''. Torna-se, a partir de sexta-feira, o primeiro livro de poesias da também jornalista Célia Musilli. O lançamento acontece às 19 horas, na Biblioteca Pública de Londrina, dentro da programação do Londrix 2006, festival literário que prossegue até domingo.

O livro, sob chancela da editora Atritoart, reúne cerca de 80 poesias divididas em dois blocos: Poemas Sensuais e Poemas Transversais. O terceiro tópico são as Cartas Sem Endereço. Em todas as linhas, verticais e horizontais, Célia Musilli imprimiu feminilidade, sedução. Erotismo, que ao ver e sentir da poeta é corpo e espírito. ''A mulher tem que ser mais corajosa e expor seu erotismo sem vulgarizar, sem baratear. Colocá-lo num patamar muito alto, num patamar de deusa. Sexo é também um estado de espírito'', analisa.

Poética confessional! São palavras assentadas desde há muito e outras, grande parte, da safra mais recente impulsionada pelo blog (www.sensivelldesafio.zip.net) mantido há três anos. Como autora, já foi publicada em revistas de expressão como ''Poesia Sempre'', da Biblioteca Nacional, ''Coyote'' e também na Folha de Londrina - suas palavras ganharam voz através das performances cênico-musicais do grupo Benditos Energúmenos. Com a também jornalista Maria Angélica Abramo, lançou em 2004 o livro ''Londrina Puxa o Fio da Memória''.

Já ''Sensível Desafio'' torna-se público de forma espontânea - o desejo de ter uma publicação ganhou impulso com o incentivo de pessoas que se identificaram aqui e ali com os escritos da poeta. E não só mulheres. Os homens, revela Célia, muitas vezes são os que mais deixam comentários em seu diário virtual.

Intensa! Ela é intensa nas emoções, faz questão de frisar. Nem precisava. Suas poesias e prosa a refletem. Sensoriais. Instintivas. Práticas, cotidianas, úteis. Coisas de mulher com gosto de fruta mordida entre os dentes. Mucosas em deleite. Pensamento atávico. ''Estou com 49 anos, sou uma mulher madura, não sou uma menininha. E essa mulher tem várias vozes'', diz.

 

  Eu gostava quando você avisava se vinha ou se não vinha. Sentia o gosto da consideração pela minha espera. Mas o tempo rouba as gentilezas. À curta ou longa distância as vicissitudes dos nossos tropeços serão sempre iguais. As pessoas quando se apaixonam padecem de uma febre dos sentidos, de uma expectativa que lhes tira o sono, deixando-as espertas como animais fazendo a ronda.

 

(...)

 

  Amor vibrante é assim, não fica parado, não se aquieta noite e dia, como a maré que sobe e abaixa. É o oposto das lagoas frias, das águas paradas feito espelho metálico, onde se miram os espectros das lendas.

 

(...)

 

  Quem quiser me amar que vibre ou quando der por si não ouvirá sequer meu passo onde havia um carnaval de euforias. (...) Paixão é cumplicidade incandescente. Ou corro o risco dos aventureiros, satisfeitos com sua própria coragem e sem dor.

 

 

Antônio Mariano Júnior

http://www.bonde.com.br/folha/folhad.php?id=14491LINKCHMdt=20060920



Escrito por fernandobluesborghi às 12h19
[] [envie esta mensagem
]





Mestre Slim

Magic Slim é um dos meus bluesmans preferidos, sem muita firula , com um som puro e potente consegue como poucos colocar a alma na ponta da palheta e o blues na potente garganta rasgada. . .

Confira abaixo dois momentos do mestre  capturados em video, vale a pena:

http://www.youtube.com/watch?v=5SSDloic6fo&mode=related&search=

http://www.youtube.com/watch?v=YMRBqwWPeas&mode=related&search=



Escrito por fernandobluesborghi às 17h36
[] [envie esta mensagem
]





O ESTERTOR

O HOMEM É NECESSARIAMENTE

UM ANIMAL QUE GOSTA

O GOSTO É QUE VARIA . . .



Escrito por fernandobluesborghi às 20h35
[] [envie esta mensagem
]





70 Anos de Zé do Caixão

Conheço muito pouco, ou quase nada do trabalho do Zé Mojica.

Mas o pouco que vi bastou para chegar a conclusão que independente da temática de seus filmes, sua obstinação pessoal unida a sua vontade de trabalhar e produzir, mesmo com parcos recursos já seriam  o suficiente para admirá-lo.

Se ele tivesse nascido em um pais sério, acho que talvez  tivesse melhor sorte.

Porém acho que não teria se divertido tanto!

 



Escrito por fernandobluesborghi às 20h51
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]