Arquivos
 04/11/2007 a 10/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 18/02/2007 a 24/02/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 05/11/2006 a 11/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 06/08/2006 a 12/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Bortolotto
 Márcio Américo
 Célia Mussili
 Gibizada
 Márcia
 Lielson
 Blues Masters
 Selton
 Pedrão
 Pedrita
 Caraminholas
 Ana Paula
 Wolf Attack
 Benett
 Leo Lama
 Zéu Britto
 R. L Burnside's
 Maga
  Revista Lasanha
 Revista Blues e Jazz
 Blues4Fun




Blues Writer
 


Polaróides Históricas
 
Com todo respeito e gratidão por alguns colegas que
nos informam e divertem com suas crônicas, sinto muito, sentimos todos,
a falta de mestres do cotidiano como Rubem Braga, Fernando Sabino,
Antonio Maria, José Carlos Oliveira, Sérgio Porto, Nelson Rodrigues,
que, com humor e ironia, registraram os personagens, dramas e comédias
do Brasil de seu tempo e deram grandeza e leveza à crônica como gênero
literário.
O grande diferencial deles, além da qualidade do texto, é que abordavam
os mais variados temas, pessoas e situações. Mas, se escrevessem hoje,
coitados, como todos nós, os melhores e os piores, não escapariam da vala
comum dos escândalos e da política, de roubos e falcatruas, de mentiras
e sem-vergonhices de parlamentares, funcionários, policiais e juizes
corruptos e de bandidos em geral.
O drama da crônica, para eles, era a falta de assunto. Hoje eles abundam,
mas são os mesmos para todos, quase obrigatórios. Se vivessem hoje,
os mestres teriam que rebolar para encontrar um ponto de vista diferente,
porque não poderiam ignorar o cardápio de acontecimentos e nem engoliriam
calados o prato feito do noticiário.
Que falta faz o que Nelson Rodrigues escreveria sobre sem-terras, feministas
e ambientalistas, sobre Lula, Delúbio e Zé Dirceu, mas principalmente sobre
patéticos dramas político-passionais.
Hoje, os jornais, revistas e blogs estão cheios de cronistas, que tentam
fazer sua parte, registrando o nosso turbulento cotidiano. Alguns são talentosos,
escrevem muito bem e poderiam, como os velhos mestres, nos divertir e informar
melhor sobre nosso tempo e lugar, sobre nós mesmos. Mas todos só escrevem
variações sobre os escândalos políticos e policiais. Inclusive o signatário.
Pobres leitores. ( Nelson Mota)

 
Vale a pena visitar essa página do Nick Cave no MySpace,
além de ter dois vídeo muito legais, tem uma trilha fantástica.

http://www.myspace.com/nickcave  

"I don't do happy. I do sad or angry."
Palvaras do velho Nick Cave.




Escrito por fernandobluesborghi às 22h04
[] [envie esta mensagem
]





Hey Supercordas!

.....eles foram congelados nos anos 60, na primeira experiência
criogênica da história. Quando saíram das cápsulas, perdidas
em um brejo qualquer, no final do século XX, retomaram o espírito
psicodélico da época em que haviam adormecido.

A primeira vez que ouvi o som dos Supercordas
foi numa apresentação que eles fizeram no
Jornal da Mtv, e gostei pra caralho do som
dos caras. Na apresentação que eles fizeram
haviam três guitarras, muito bem entrosadas
criando uma camada de som muito legal.

Vale a pena ouvir Ruradélica e Eu Não Tenho
Sorte Nessa Vida
...rsssssss, pra mim já são duas
pérolas do cancioneiro brazuca, muito bom!
http://www.myspace.com/supercordas

Música Para Samambaias Animais Rastejantes e Anfíbios
Marcianos
...precisa dizer mais alguma coisa.
Entre no site dos caras e veja, ouça e curta, que é o
que interessa....

http://www.supercordas.com/



Escrito por fernandobluesborghi às 12h08
[] [envie esta mensagem
]





O Glauco é Foda! ( rsss)



Escrito por fernandobluesborghi às 19h15
[] [envie esta mensagem
]





O Sargento Quarentão

O legal de estar sempre em contato com o futuro é que vira e
mexe voltamos ao passado. Sargent Pepper’s Lonely Hearts Club
Band (o antológico álbum dos Beatles), esse mês está completando
40 anos de existência. Pra ser mais exato, está bem mais velho
que eu...ufa!!!

Pra muitos esse disco foi um divisor de águas. Discordo.
Divisor de águas pra mim foi a invenção da televisão
de 29 polegadas (rssssssssss).

Apesar de ter certeza absoluta que a fama desse disco
é tão grande quanto o Mini-Dicionário Silveira Bueno, tenho
lá minhas dúvidas do seu conteúdo. Pra ser bem sincero, não sei
se gosto ou não dele! A fama desse álbum é algo bem próximo
a uma panela de pressão, com seu repertório tipo: “Fase final
do Campeonato Carioca”, só clássico, vence com méritos
(obviamente), mas a sua harmonia inovadora é tão retórica
e insistente quanto um voluntário do Geenpeace em campanha.

Ouvi pela primeira vez esse disco quando ainda trabalhava
numa empresa que financeiramente me possibilitou as primeiras
descobertas de que o mundo ia muito além do que eu via na
televisão: Cinema, Quadrinhos, Livros, Discos etc....
E num desses sábados consumistas, pois só possuía esse dia
na semana para me esbaldar com meus trocados (era sagrado,
sábado sim, sábado não, lá estava eu em Londrina), comprei
o Sargent e confesso que na época não entendia porra nenhuma
das letras (não que hoje seja muito diferente), mas o efeito
que eu sentia nas veias ao ouvir aqueles quatro extra-terrestres
era tão ou mais prazeroso quanto ser admitido para fazer
parte do time de futebol de salão na hora do intervalo no colégio.
 
E olha que o tempo passou, mas a maravilhosa sensação que eu sinto
quando ouço o disco ou quando lembro das boladas que eu defendia
debaixo das traves da quadra da escola ainda são as mesmas.



Escrito por fernandobluesborghi às 09h30
[] [envie esta mensagem
]





Celso

Li uma entrevista do velho Celso Blues Boy, e
não resisti em postar aqui essa resposta que
ele deu que eu achei simplesmente a cara do
Celso.

Qual o balanço que você faz da carreira?

Celso Blues Boy:
O balanço é sempre positivo. Pra ilustrar posso citar um
fato curioso. Próximo ao Circo Voador existe uma maternidade.
Outro dia, andando nas ruas do Rio de Janeiro, encontro um
“compadre” que tinha colocado o nome do filho dele de Celso
porque no momento em que ele nascia na maternidade ao lado,
eu mandava ver na guitarra no Circo Voador. Você não coloca
o nome em um filho à toa. Então, aí eu tenho certeza que
a minha vida valeu pra alguma coisa.

Para ler a entrevista na integra:

http://www.bluesnjazz.com.br/entrevista_do_mes8.htm

Para baixar a discografia completa do Celso:

http://hardblog.kanak.fr/Bandas-Nacionais-f16/Rock-And-Roll-Pop-Rock-f19/Celso-Blues-Boy-p120058.htm

 



Escrito por fernandobluesborghi às 12h26
[] [envie esta mensagem
]





Dica pra começar melhor a semana


Ouçam essa pérola no mais alto volume.
É como disse um amigo dias atrás
"Um puta trabalho começa com uma
capa a altura!"


Não resta a menor dúvida....



Escrito por fernandobluesborghi às 10h31
[] [envie esta mensagem
]





É Fácil Dizer Adeus

Tão frio como um dia de inverno
Vi você ajeitando mas não quis
acreditar

 

Tão seco quanto um soco na boca
do estômago
Achei que  você ia apenas viajar

 

Tão vivo quanto um fiapo de vento
uivando lá fora
Quem sabe você pense melhor, e volte
outra hora



Escrito por fernandobluesborghi às 10h23
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]